mpla.jlo.comicio.jpg

 Luanda - Mais de um milhão e cem mil votos contabilizados dão ao MPLA 51 por cento dos votos, seguindo-se a UNITA com 36 por cento e a CASA-CE, em terceiro lugar, com 11 por cento. Estes resultados reflectem a contagem paralela efectuada pela UNITA, com base nas actas-síntese em sua posse.

Metade dos votos já contabilizados (c. 500 mil) são de Luanda. Na capital, o MPLA e a UNITA, até ao momento, repartem a preferência do eleitorado, com 40 por cento da votação, seguidos pela CASA-CE, que conta com 13,6 por cento. Angola tem um universo de mais de nove milhões de eleitores registados.

Os resultados de Luanda excluem os municípios mais populosos – Viana e Cacuaco –, onde a oposição é mais forte. Segundo as contagens até ao momento, a UNITA vence nestes municípios com larga maioria.

O Maka Angola sabe que a CNE suspendeu a divulgação provisória dos resultados, por decisão da Presidência da República. O MPLA mostra-se surpreendido com os resultados e, caso se mantenha a tendência de subida de votos para a oposição, pode chegar ao fim com menos de 50 por cento.

A CNE esteve reunida até às 3h00 da manhã e decidiu realizar novamente eleições no próximo sábado, em algumas localidades onde ontem estas não tiveram lugar: províncias da Lunda-Norte, Benguela e Moxico. Fonte da CNE garante que o processo de votação de sábado não afectará os resultados gerais.

Apesar do controlo e da manipulação do processo eleitoral, o MPLA não consegue esconder os resultados nem evitar a contagem paralela realizada pela oposição. Assim, o MPLA caminha para uma situação bem embaraçosa.